1. O público e a intenção

Status: Em andamento
(atualizado em 1º de Julho de 2020)

É muito mais fácil criar um bom serviço quando existe (a) uma intenção clara por parte da organização por trás dele e (b) um entendimento profundo a respeito dos clientes que por ele serão beneficiados. Propósito sem público não gera impacto. Público abundante que não se identifica com a oferta de uma organização, muito menos.

Para desenvolver uma boa oferta, então, precisamos do olhar “de dentro para fora”, da intenção, e “de fora para dentro”, do público e suas necessidades. Infelizmente, é impressionante a quantidade de empresas que não tem clareza sobre nem um, nem o outro. Pretendo evitar isso neste projeto.

Sendo assim, reflito abaixo a respeito do meu potencial público e as intenções do canal.

Possíveis caminhos:
unindo públicos e intenções

a. Mensagem aos estudantes de Design

Inspirado no (pessoalmente) marcante livro “Mensagem aos estudantes de Arquitetura” do arquiteto Le Corbusier, o conteúdo do canal poderia estar direcionado a estudantes no início de sua trajetória como Designers de Serviço.

Conteúdos possíveis: ferramentas de design (de serviço) e dicas de carreira
Impacto desejado: formar uma nova geração de designers

b. Servir bem para servir sempre

Resgatando meu segundo livro (que nunca foi publicado), o canal poderia girar menos em torno do Design de Serviço (e dos profissionais da área) para promover melhores serviços de maneira mais simples e direta. O olhar do design seria apenas uma engrenagem oculta por trás das recomendações. O objetivo principal estaria em ajudar donos de pequenas e médias empresas, e em menor medida a profissionais de grandes organizações, a melhor estruturarem e operacionalizarem seus serviços.

Conteúdos possíveis: dicas e exemplos de bons serviços
Impacto desejado: auxiliar PME’s a estruturarem e operacionalizarem melhores serviços

c. Design de Serviço nos negócios

Aplicar o design de serviço para pensar na estratégia e “orquestração” de canais e pontos de contato de grandes organizações faz parte de minha rotina diária. Na Livework fazemos projetos para dar mais visibilidade sobre quem são os clientes de nossos clientes, avaliar a qualidade percebida de seus serviços, melhorar a experiência de seus clientes e pensar em novos negócios (inovação). Além disso, algo que temos feito desde nossa chegada ao Brasil tem sido ajudar a estruturar e capacitar áreas de inovação e design dentro das empresas. Um caminho possível para o canal seria contar essas histórias e falar sobre a relevância e o impacto do Design de Serviço a um público mais corporativo, de média ou alta gestão.

Conteúdos possíveis: mostrar como as corporações podem se beneficiar do design
Impacto desejado: ampliar e facilitar a adesão do design de serviço nas organizações

d. Design de Serviço avançado

O “chamado” para falar sobre tópicos mais avançados seduz, pois consiste em uma oportunidade de explorar novas áreas e desenvolver novos conceitos. No entanto, se o objetivo deste canal é habilitar designers de serviço para que o Brasil seja um país com serviços mais ajustados, a opção por falar com alguns poucos cientistas de serviço não deveria sequer ser considerada neste primeiro momento. Estou apenas aqui justificando as razões por não explorar esta frente.

e. Sobre Design e Serviços (“a vida como ela é”)

Uma última opção, talvez mais alinhada com o tom pessoal e exploratório deste projeto, é criar um canal mais livre, com um pouco de cada um dos conteúdos acima. Poderia até incluir interesses tangenciais, como organização e produtividade pessoal. Por se tratar de uma iniciativa totalmente experimental e considerando ainda o teor da plataforma, trata-se de um caminho possível e bastante atraente para manter vivo um espírito explorador nesta longa jornada. Assim poderei, aos poucos, encontrar uma voz própria, testar conteúdos e identificar um público com o qual eu possa realmente me conectar. Esta via, mais real e informal, é a que tenho chamado de “a vida como ela é”.

Conteúdos possíveis: avaliando serviços, guia do design de serviço, entrevistas, bastidores da Livework e de projetos e “a vida de um designer de serviço”.
Impacto desejado: melhores serviços por meio de mais interesse no design de serviço

Estando no começo dessa jornada, vejo a construção de um canal no YouTube como a de qualquer outro serviço. Podemos passar muito tempo planejando tudo mas, uma vez no ar, ele vai precisar evoluir continuamente. Sendo assim, passar muito tempo detalhando, sem partir para ação, pode ser apenas perda desse tempo.

A intenção é contribuir de alguma forma para que nosso país tenha melhores serviços. Para isso, precisamos de melhores designers de serviço. Eu acho que posso ajudar.

E você, o que acha disso? Deixe um comentário em meu facebook clicando aqui.